Nossa experiência no Simpósio online da AG Bell Association

Por Bruna Capalbo Youssef

No último mês participei do Simpósio da Agbell: Listening and Spoken Language Symposium. Este foi dividido em duas partes, uma online e outra virtual, ou seja, tínhamos acesso a todas as aulas gravadas no simpósio online por três semanas.

Foi uma experiência incrível assistir aulas sobre a importância da família no processo terapêutico, estratégias para pensarmos mais e melhor sobre questões fisiológicas do paciente, como o nervo auditivo e estratégias para potencializar a terapias, entre outros temas.

Imagem: AG Bell

O que foi muito abordado e muito interessante, foram as estratégias de teleatendimento. Esse tipo de atendimento é muito comum nos Estados Unidos, mas não na nossa realidade clínica. Agora, se tornou fundamental em tempos de pandemia. Falou-se muito no uso de aplicativos para várias funções como jogos interativos, tradutores simultâneos e até mesmo de legendas ao vivo.

Falou-se muito também sobre a importância do uso da sua tela (em video conferências) dentro das estratégias terapêuticas, como, por exemplo, para colocar no fundo imagens de algo que você quer trabalhar na terapia dessa semana.

É muito interessante como a forma de pensar deles é muito diferente da nossa e ao mesmo tempo muito parecida. A inclusão da família no processo terapêutico, principalmente quando falamos de crianças pequenas, se torna fundamental, e é o que preconiza a Terapia Auditiva-Verbal, abordagem terapêutica que serve como base e referência para as atividades do simpósio.

Nesse formato de terapia a família é a parte mais importante do processo, pois são eles que ficam a maior parte do tempo com a criança. Dessa forma, nós terapeutas, devemos orientar os pais (ou cuidadores) sobre as estratégias terapêuticas, tornando-os figuras protagonistas do trabalho e da prática terapêutica no lar. Sempre devemos ter em mente que a efetividade da Terapia Auditiva-Verbal está ligada a como orientamos e trabalhamos com a família.

E você, o que acha desse tipo de abordagem terapêutica? Vocês conhecem a Terapia Auditiva-Verbal?

Imagem: AG Bell