Terapia em tempos de pandemia 

por Elisa De Biase Hopman 

-“Olá, bom dia! Podemos começar? Te chamo!”

Assim começa o dia dos muitos atendimentos on-line que, desde março de 2020 com a chegada da pandemia atual, passamos a usar. O Ministério da Saúde permitiu o uso do teleatendimento seguindo a PORTARIA Nº 467, DE 20 DE MARÇO DE 2020 favorecendo a continuidade dos trabalhos de consulta e terapias. Ufa, que bom! Mas e agora?

Aqui no Escuta perguntamos: o que fazer com as estratégias que foram pensadas e organizadas? Como serão esses próximos atendimentos? As respostas vieram devagarzinho, junto com muita pesquisa de novas técnicas e atividades que fizessem sentido para as crianças; e junto também com o fazer terapêutico, com a realização de cada encontro on-line, sentindo cada demanda!

Portanto, por meio das técnicas terapêuticas e das possibilidades da tecnologia, pudemos continuar o trabalho com as famílias e com as crianças; e sim, estando perto! Perto de outra forma, através das janelinhas da plataforma, vendo cada cantinho da casa escolhido pelas famílias; e as famílias nos vendo, nos recebendo, nos guiando nesse trabalho. Foi e está sendo lindo!

Com essa nova experiência, percebemos que o teleatendimento nos trouxe novas formas de trabalho, novas possibilidades.

Através dele, pudemos nos aproximar de mais famílias queridas, que pela distância física jamais teríamos tido a oportunidade. Ele veio para somar, nos dando a certeza que o acolhimento não é feito somente de encontros presenciais, de protocolos feitos. E que, mesmo nesse momento tão singular, pudemos continuar com o que a gente acredita e fazer dar certo!

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *